Falso x Verdadeiro

Recebeu uma informação sobre o Censo 2022, mas está em dúvida ou desconfiado?

Neste espaço, você confere se o que foi divulgado sobre a pesquisa é realmente verdadeiro ou falso.

Esclarecimento: Censo não bloqueia aposentadoria

O IBGE esclarece que o fato de não responder ao Censo 2022 não implica o bloqueio bancário de aposentadorias ou cancelamento de prova de vida de segurados do INSS. Trata-se de uma informação falsa que não tem fundamento. Não existe relação entre responder ou não ao Censo 2022 e a perda e/ou bloqueio de proventos, aposentadorias e benefícios. As informações prestadas ao Censo 2022 são confidenciais e o sigilo é garantido por lei.

Esclarecimento sobre número de cômodos e banheiros

Para quem relaciona as perguntas do questionário do Censo sobre número de cômodos e banheiros com possível ação de tomada do domicílio pelo governo, o IBGE esclarece se tratar de uma informação falsa. Tais perguntas servem para avaliar, além do déficit habitacional, as condições de vida e acesso a saneamento e higiene adequados, além de fornecer subsídios para avaliação da qualidade do ambiente, podendo embasar políticas públicas em benefício de bairros ou cidades que precisem de melhorias nesta área. Nenhuma ação referente a domicílios individualizados se baseia em dados do Censo, pois as informações individuais são mantidas em sigilo.

CONFIRA abaixo os links da reportagem do G1 e do jornal Bom dia Rio que reproduzem o esclarecimento do IBGE:

27/10/2022:
https://globoplay.globo.com/v/11064518/

24/10/2022:
https://g1.globo.com/fato-ou-fake/eleicoes/noticia/2022/10/24/e-fake-que-pergunta-sobre-quartos-e-banheiros-no-censo-e-para-orientar-divisao-de-imoveis-com-sem-teto.ghtml

É falso que não responder ao Censo implique em não receber o Auxílio Brasil

Temos recebido relatos de Recenseadores, e também questionamentos nas redes sociais, de pessoas com receio de que ao responder ao Censo possam perder o direito ao Auxílio Brasil, ou mesmo que a recusa em responder ao questionário do Censo possa motivar a perda deste benefício.

Esclarecemos que é muito importante que todos respondam ao Censo, para que seus resultados tragam um retrato fiel do Brasil e dos brasileiros, e há sim a obrigatoriedade legal, com previsão de multa. Porém, não há nenhuma relação entre responder ou não ao Censo e receber ou não o Auxílio Brasil ou qualquer outro programa de benefícios.

Da mesma forma, as respostas fornecidas ao questionário do Censo não têm relação com o direito ou não de estar em programas de benefícios. No Censo, assim como nas outras pesquisas e levantamentos do IBGE, os dados individuais são sigilosos, e as informações são divulgadas somente para fins estatísticos.

Saiba a verdade na matéria abaixo:

22/09/2022
https://pronatec.pro.br/beneficiarios-nao-responderem-censo-parcelas-suspensas/

Esclarecimento do IBGE e do TSE

É mentira que IBGE utilize celular com urna eletrônica para roubar biometria e dados de eleitores.

Nenhum aplicativo substitui a urna física, nem é usado para colher impressão digital do eleitorado.

Uma mensagem sobre um suposto uso de celular com urna eletrônica pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) movimentou a internet nos últimos dias. O conteúdo em texto e áudio diz falsamente que os profissionais a serviço do órgão estariam realizando uma pesquisa eleitoral para saber o voto da pessoa entrevistada.

Segundo a postagem, os responsáveis pela coleta de dados da população aproveitariam a oportunidade para roubar a biometria de eleitoras e eleitores durante a realização do censo demográfico de 2022.

A publicação também dizia que os recenseadores sugeririam ao entrevistado que clicassem em uma urna eletrônica disponibilizada na tela de um celular para que, por meio desse processo, fosse colhida a impressão digital de eleitores que votavam em determinado candidato à Presidência da República.

Por fim, a lógica da cópia da biometria pelo smartphone seria transferir essa informação para a urna física e, desse modo, permitir que um eleitor vote no lugar de outro no dia da eleição.

É boato!

A notícia é completamente falsa. Primeiro porque no censo demográfico não são feitas perguntas sobre a intenção de voto das pessoas entrevistadas. O objetivo do estudo é reunir informações de quantos são e como vivem os brasileiros. A pesquisa, portanto, não leva em consideração a preferência política de quem participa do levantamento.

Depois, é importante destacar que nenhum aplicativo de celular é capaz de substituir a urna eletrônica física, que é o único equipamento usado para registrar o voto do eleitorado. Além disso, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e os Tribunais Regionais Eleitorais (TREs) não utilizam impressões digitais coletadas por meio de smartphones.

A única forma de identificação biométrica válida é aquela coletada presencialmente pela Justiça Eleitoral antes da pandemia de Covid-19 ou por órgãos públicos parceiros, como Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) e Institutos de Identificação, por exemplo.

Saiba também que não há possibilidade de uma “cópia” da impressão digital pelo celular interferir na votação. Isso porque no dia da eleição é necessário que a eleitora ou eleitor coloque o dedo no terminal do mesário, que contém o leitor biométrico.

Tudo é acompanhado de perto pela equipe de mesários, que passam por treinamento para detectar qualquer problema que ocorra na seção eleitoral durante as Eleições Gerais de 2022. Sendo assim, é impossível que uma pessoa se passe pela outra na hora de votar.

Veja nas agências de checagem, abaixo, as matérias que desmentem a falsa mensagem:

Estadão verifica (13/09/2022)
https://politica.estadao.com.br/blogs/estadao-verifica/censo-aplicativo-urna-eletronica/

Boatos.org (07/09/2022)
https://www.boatos.org/politica/ibge-tem-celular-com-urna-eletronica-para-roubar-biometria-eleitores-de-bolsonaro.html

Áudio com informações erradas

O IBGE foi alertado sobre o áudio de WhatsApp em que um informante fala sobre roubo de Dispositivos Móveis de Coleta (DMC) e coletes de recenseadores e um falso recenseador que teria ido ao seu domicílio. Informamos que a parte do áudio que fala sobre o roubo é falsa. Em relação ao falso recenseador, o informante realmente ligou para o 0800 do IBGE mas forneceu um número errado de matrícula o qual é de um recenseador que mora em outro município. A equipe de atendimento do IBGE identificou o erro e fez contato com o informante, esclarecendo o equívoco e atestando a identidade do recenseador. A equipe também pediu para o informante corrigir o alerta que fez junto aos seus contatos de WhatsApp, que se prontificou a fazê-la.

CONFIRA abaixo os links de reportagens que restabelecem a VERDADE, no g1, no Hora Um e no Bom Dia Rio. Graças à apuração do serviço de checagem Fato ou Fake:

11/08/2022:
https://g1.globo.com/fato-ou-fake/noticia/2022/08/11/e-fake-mensagem-sobre-uso-de-cem-aparelhos-e-coletes-do-censo-por-criminosos.ghtml

18/08/2022:
https://g1.globo.com/rj/rio-de-janeiro/bom-dia-rio/video/fato-ou-fake-equipamentos-do-ibge-nao-foram-roubados-10859008.ghtml

23/08/2022:
https://globoplay.globo.com/v/10868825/

Alerta falso sobre funcionário do IBGE

O IBGE esclarece que a mensagem contendo um suposto alerta da Polícia Militar com foto de um homem que estaria se passando por um funcionário nosso é falsa. Se você deseja identificar um entrevistador do IBGE, pode fazê-lo através do 0800 7218181 ou pelo site Respondendo ao IBGE.

11/08/2022:
https://g1.globo.com/fato-ou-fake/noticia/2022/07/12/e-fake-que-pm-de-sp-fez-alerta-sobre-assaltante-que-usa-cracha-do-ibge.ghtml