Root https://www.ibge.gov.br/
Base https://www.ibge.gov.br/
Instance https://censo2022.ibge.gov.br/noticias-por-estado/33644-ibge-mt-promove-encontro-tecnico-presencial-da-equipe-do-censo-2022

IBGE-MT promove encontro técnico presencial da equipe do Censo 2022

Editoria: Censo 2022 | Da Redação

06/05/2022 14h52 | Atualizado em 06/05/2022 16h14

A Unidade Estadual do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) em Mato Grosso realizou, na semana passada, de 26 a 28 de abril, na sede do Ministério da Economia em Cuiabá, o primeiro Encontro Técnico Estadual do Censo 2022, com a presença de mais de 60 profissionais que vão liderar as equipes de coleta do Censo Demográfico a partir de agosto deste ano.

O Superintendente da Controladoria Regional da União no Estado de Mato Grosso, Daniel Gontijo Motta, participou da abertura do terceiro dia de treinamento, agradeceu a oportunidade de “conhecer de perto a equipe que vai fazer esse trabalho tão relevante para o nosso país” e disse que, sem dúvida, os servidores vão conseguir superar os desafios pela entrega e compromisso que o IBGE sempre teve.

“A gente sabe da importância que é o Censo, a importância que é a gente ter informação, conhecer qual que é a nossa população, como que ela está distribuída, porque uma das missões que a gente tem na CGU, é justamente contribuir para que as políticas públicas sejam entregues da melhor forma possível. E a gente só consegue isso se a gente souber quem são os destinatários dessas políticas públicas”, afirmou.

A Chefe da Unidade Estadual do IBGE em Mato Grosso, Millane Chaves, fez questão de contextualizar como será a operação censitária no estado e destacou números importantes para mostrar a grandiosidade e o tamanho do trabalho da equipe e o desafio no estado. “Fazer o Censo em Mato Grosso significa que os recenseadores deverão visitar mais de um milhão de domicílios, em torno de 9.000 setores censitários nos 141 municípios e a mesma atenção para setores indígenas, territórios quilombolas. Isso em três meses de coleta, agosto, setembro e outubro.”

Segundo Millane, a força de trabalho do IBGE no estado é multiplicada por mais de dez em períodos de Censo: passará de 58 efetivos e cerca de 200 temporários para um contingente de mais de 3.600 funcionários. “São mais de 3.000 recenseadores, ACMs, ACSs, que vão ser os responsáveis por esse trabalho de campo”, disse. A Chefe da Unidade comunicou ainda que o IBGE solicitou ao Ministério da Economia a realização de concurso público para o ano de 2023.

O Coordenador Operacional do Censo em Mato Grosso, Francisco Vieira da Silva, destacou a importância de a equipe ser treinada e capacitada para utilizar bem todos os recursos humanos, técnicos e financeiros. “Cada veículo que a gente vai utilizar, cada tanque de combustível que a gente vai colocar no carro. Todas as atividades que nós vamos fazer, a gente faz em nome do IBGE, mas a gente faz pro Brasil, para a sociedade. Então ter esse apoio da CGU, para nós, igual ao que o Márcio falou, é muito importante, ter essa orientação para que a gente não erre, haja preventivamente, tenha consciência, para que o recurso que, embora seja pouco, muito pouco para a nossa operação, mas que ele seja eficiente e que a gente consiga cumprir os nossos objetivos.”

Durante o evento, foi realizada uma apresentação para mostrar as dificuldades e os acertos do Teste do Censo no Distrito do Sucuri, entre novembro de 2021 e janeiro de 2022, sobre o planejamento para a coleta na Terra Indígena do Xingu, na área do Pantanal e o pré-planejamento para a coleta de Entorno. Além disso, os coordenadores de área e os CCSs (Coordenador Censitário de Subárea) fizeram apresentações sobre as suas áreas de atuação.

As supervisões de Recursos Materiais, Recursos Humanos, de Disseminação de Informações, Informática, Frota, além da coordenação técnica e operacional do Censo em Mato Grosso também passaram as informações pertinentes a toda a equipe.

Millane considerou que o encontrou serviu para mostrar aos coordenadores censitários o valor institucional, a cultura organizacional do IBGE Mato Grosso e isso não tem preço. “O entusiasmo é o que nos faz entregar resultados. Nós entregamos um resultado para o Censo, com o trabalho das pessoas junto com a tecnologia, mas nada substitui as pessoas. A entrega, que nós vamos dar para a sociedade brasileira, que serão os resultados dos 141 municípios de Mato Grosso e, se Deus quiser, no final do ano, nós vamos entregar à população é a nossa missão, é a nossa entrega.”

UE-MT já realizou a primeira etapa de treinamento para o Censo 2022

A Unidade Estadual do IBGE em Mato Grosso realizou, de 4 a 14 de abril, o treinamento da primeira turma de servidores mato-grossensespara a realização do Censo. Ao todo, 20 funcionáriosforam capacitados para atuar como multiplicadores: eles serão os instrutores responsáveis pelo próximo treinamento, que vai ocorrer em maio. Entre os treinandos, havia coordenadores de área, CCSs (Coordenador Censitário de Subárea), analistas censitários e outros servidores do quadro permanente.

Os instrutores desta primeira etapa foram o Coordenador Estadual de Treinamento, Pedro Nessi,o Coordenador Técnico do Censo em Mato Grosso, Remildo Rodrigues de Souza, e a Chefe da Agência do IBGE em Alta Floresta, Aline Lehmkuhl Dantas. A primeira semana de aula focou na coleta dos dados enquanto que, na segunda semana, foi trabalhada a parte da supervisão do Censo.

Segundo Pedro Nessi, o melhor do treinamento foi a participação de todos. “O pessoal tava muito animado com essa primeira etapa do treinamento e também o que eu acho que foi muito bacana foi a forma do treinamento, em especial os slides eram muito bons, os vídeos e as simulações que fizemos. Dentre elas, a simulação que nós fizemos da coleta do entorno, que foram gravações muito interessantes feitas através de drones”, explica.

O Presidente do IBGE, Eduardo Rios Neto, participou da abertura no dia 4 de abril durante sua visita à UE-MT. Dois servidores do IBGE no Rio de Janeiro acompanharam as aulas como observadores: Carlos Barreto, lotado na CTD/Chile, e Marta de Oliveira Antunes, coordenadora do Grupo de Trabalho de PCTs (Povos e Comunidades Tradicionais) do IBGE. Participaram servidores da UE-MT, de Cuiabá, Sorriso, Alta Floresta, Alto Araguaia e Sinop.

Mais notícias deste Estado